15/01/2011

SYD BARRET

Rob Chapman
“A Very Irregular Head: The Life of Syd Barrett”
Da Capo Press

Não muito tempo depois de apresentar o modelo do psicadelismo britânico em 1967, com, The Piper at the Gates of Dawn, o co-fundador Syd Barrett começou uma descida constante de loucura e reclusão, deixando para trás um mar de rumores e especulações, que continuou até sua morte de cancro do pâncreas em 2006.

Esta é a primeira biografia do fundador dos Pink Floyd Roger "Syd" Barrett, que tem a colaboração da sua família, o único que faz uma leitura essencial para Floyd e Barrettophiles. Chapman explora a educação de Barrett, adicionando o seu retrato, citando extensamente a partir dos escritos como as cartas à sua primeira namorada. Ele também pinta um quadro sugestivo quando Londres começou a balançar nos anos 60, e como era naqueles meses antes do começo da cena mainstream.

Chapman também tenta colocar Barrett no contexto histórico da tradição literária, referindo-se aos escritores com imagens semelhantes, como o A.A. Milne, Lewis Carroll, James Joyce, e especialmente Kenneth Grahame (cujo livro “Wind in the Willows” refere o título do primeiro álbum dos Pink Floyd, "Piper at the Gates of Dawn") e a influência do autor cujos surreais contos e jogos de palavras extravagantes foram a chave para músicas como "Arnold Layne" e "Bike".

Chapman também faz observações curiosas sobre a retirada gradual de Barrett a partir do grupo que ele fundou, e sumiu de vista em vez de se ir deteriorando num músico menor a tocar em lugares secundários, e detalhes do dia-a-dia do estado mental de Barrett, que o levou a um abandono completo da música em 1972.

Sem comentários:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails