18/12/2010

WILD NOTHING

O que é preciso para ser reconhecido como um “gênio”? Alguém note o que está fazendo – e que esteja fazendo algo importante, como Jack Tatum, um jovem de 22 anos.

É da cabeça dele que saem todas as melodias cristalinas, presente nos Wild Nothing, a sua banda, o seu alter-ego. Talvez seja cedo. Mas é bom ficar de olho e ouvir a pop quase perfeita de Jack Tatum.

Estes Wild Nothing andarão algures aí pelo meio com a diferença que o seu horizonte é feito de nevoeiro, shoegaze, Reino Unido e de muito anos 80, da 4AD, My Bloody Valentine, Stone Roses, Galaxie 500, Spacemen 3, Joy Division, New Order, Slowdive, Luna, The Cure ou The Smiths....

Em 2010 fomos brindados com Gemini mas também com um outro EP, Cloudbusting, e uma recente tour norte-americana com outra das figuras de proa da chillwave, Neon Indian o hipânico-texano Alan Palomo.

1 comentário:

Neuroticon disse...

Estiveste no ultimo concerto de Nirvana e Miles Davis também?
Que sorte, imagina que tinhas falhado!

Quanto a X-TG foi um concerto mesmo brilhante! Fiquei chocado pela morte do Peter, principalmente porque causa da sua obra em Coil, que me diz muito :(

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails